@Ler é um risco, arriscas-te?

Serviço das Bibliotecas Escolares

O Serviço das Bibliotecas Escolares (SBE) é composto pelas Bibliotecas Escolares Carlos de Oliveira e Clara Póvoa.  Desde 2011 que estas bibliotecas integraram a Rede de Bibliotecas de Cantanhede.

O SBE desenvolve um amplo conjunto de atividades em articulação com estruturas e projetos do AELdF, em particular com os Departamentos Curriculares, o que tem vindo a consolidar a participação integrada das literacias da informação, digital e dos media e do livro e da leitura nas atividades curriculares, e permitiu ainda a atribuição da chancela “Ideias com Mérito” da Rede de Bibliotecas Escolares e Escolas e Ler+ 2027 do Plano Nacional de Leitura.

Ambas as BE fazem a gestão de empréstimo para aula, desde a educação pré-escolar até ao ensino secundário, de 60 tablets e 23 PC portáteis, no âmbito dos projetos “Literacias na escola: formar os parceiros da biblioteca” e “Ambientes Inovadores em Educação”. No total, as BE possuem cerca de 14 mil documentos.

O SBE faz ainda parte da Equipa TIC, contribuindo para a definição e implementação das políticas digitais do AELdF.

Missão do SBE

Enquanto estrutura pedagógica, o SBE tem por missão apoiar o processo de ensino e aprendizagem, promover a leitura, as literacias da informação, dos media e digital e o gosto pela frequência de bibliotecas ao longo da vida, a fim de contribuir para a formação de cidadãos informados, críticos, responsáveis, utilizadores efetivos da informação e com capacidade de aprendizagem autónoma.

Visão do SBE

Integrado no Programa da Rede de Bibliotecas Escolares (RBE), o SBE pretende continuar a ser uma referência neste programa. Aberto às orientações nacionais e internacionais e à colaboração em rede, desenvolve o seu trabalho numa busca contínua da excelência dos serviços e da coleção, acessíveis equitativa e livremente, potenciando os valores e demais orientações estratégicas expressas no Projeto Educativo do AELdF.

História do Serviço das Bibliotecas Escolares

2020

Através de candidatura do SBE com o projeto @Ler é um risco, o AELdF passou a integrar a Rede Nacional das Escolas a Ler+ 2027 do Plano Nacional de Leitura (PNL).

Em outubro a Biblioteca Escolar Clara Póvoa (BECP) recebeu um apoio financeiro da Rede de Bibliotecas Escolares (RBE), no âmbito dos Imprevistos de Leitura, pelo trabalho de promoção do livro e da leitura efetuado em colaboração com a equipa da EMAEI.

A BECP foi apoiada financeiramente pela RBE e pela Câmara Municipal de Cantanhede, para além do apoio interno da Direção, o para a requalificação dos espaços e funcionalidades nas três salas abertas aos utilizadores, do Auditório e da Sala de Trabalho dos Professores.

2018

O SBE participou nos Ambientes Inovadores em Educação da CIM da Região Centro /Câmara Municipal de Cantanhede. Fez parte da equipa que desenhou e implementou o projeto (em articulação com o Literacias na escola: formar os parceiros da biblioteca) focado na capacitação digital de docentes e no apetrechamento e organização de duas salas de aula para trabalho colaborativo com uso de recursos digitais. A capacitação digital de docentes também tem sido desenvolvida através da planificação de atividades de integração curricular a desenvolver em sala de aula. Enquadradas pelo referencial “Aprender com a Biblioteca Escolar” da RBE, este trabalho traduz-se na produção colaborativa entre os professores e a professora bibliotecária de planos de sequências de aula que estão disponíveis no aprendizinvestigador.pt

Em 2018, a BECP viu aprovada a sua candidatura Bússolas de Sentido destinado a promover a leitura e a escrita entre os jovens no âmbito do Ler+ Jovem do PNL.

2016

Em 2016 o SBE, através da Biblioteca Escolar Carlos de Oliveira (BECO), apresentou uma candidatura de requalificação à RBE a qual, com o apoio também da Câmara Municipal de Cantanhede, permitiu a constituição de uma mini-biblioteca em cada Jardim de Infância e Escola EB1 do AELdF, fundo documental gerido pelo SBE e que serve de apoio às atividades anuais do Navegando na Leitura.

2015

Em 2015 o Projeto Literacias na escola: formar os parceiros da biblioteca foi financiado através da chancela Ideias com Mérito da Rede de Bibliotecas Escolares, o que permitiu a aquisição de 21 tablets, com os quais se iniciou o processo de inserção do uso dispositivos móveis em sala de aula. Atualmente o SBE dinamiza, para todo o AELdF, o empréstimo de cerca de 60 tablets.

2013

Em 2013, o SBE, conjuntamente com os restantes bibliotecários escolares do concelho, deu início à implementação do projeto Literacias na escola: formar os parceiros da biblioteca, projeto que se encontra ainda em vigor e que tem visibilidade pública no Aprendiz de Investigador. O projeto assenta na capacitação de alunos e professores nas literacias da inormação e digital. A partir de 2018 adquiriu uma vertende mais forte de apoio ao currículo através da componente “Sala de Aula”.

2012

Em 2012, e na sequência do falecimento da sua coordenadora de muitos anos, a biblioteca da à época Escola Secundária de Cantanhede adquire a designação de Biblioteca Escolar Clara Póvoa.

2011

Em 2011, as Bibliotecas participaram na constituição da Rede de Bibliotecas de Cantanhede. Para além do trabalho colaborativo entre todos os bibliotecários do concelho de Cantanhede, a constituição desta Rede permitiu ainda a disponibilização ao público de um Catálogo Coletivo através do qual é possível a qualquer utilizador aceder aos documentos de qualquer biblioteca do concelho, o que suporta o empréstimo interbibliotecário sempre que necessário.

De 2002 a 2008 a Biblioteca da Escola Secundária de Cantanhede (atual BECP) foi intervencionada, com reorganização dos espaços, mobiliários, equipamentos e fundo documental, tendo em 2008 ganho pela primeira vez a chancela de biblioteca Ideias com Mérito da RBE.

2002

Em 2002 a BECO integrou a Rede de Bibliotecas Escolares e em 2010 foi requalificada com o apoio da Rede de Bibliotecas Escolares.

1998

Em 1998 foi aprovada a Candidatura à Rede de Bibliotecas Escolares (RBE).

1977/1978

Em 1977/1978, após a construção da nova Escola Secundária de Cantanhede, a Biblioteca começou por ser instalada no bloco administrativo, no primeiro andar, tendo posteriormente sido transferida para o rés-do-chão do bloco par e em 1992 foram apresentados os projetos Mediatecas Escolares e Centros de Recursos, os quais foram aprovados, possibilitando um enorme salto qualitativo nos serviços de informação da Escola.