@Ler é um risco, arriscas-te?

Atividades das Bibliotecas Escolares do AELdF ao longo do mês de fevereiro de 2024

Para além do trabalho de formiguinha, talvez apenas visível para os alunos e professores que usam regularmente as bibliotecas escolares (catalogar documentos, manter os recursos organizados, manter operacional todo o tipo de equipamentos informáticos de apoio às aulas, manter o fluxo de informação para que os kits da Escola Digital estejam disponíveis e funcionais para os alunos e professores…), e das atividades semanais do “Vou levar-te comigo!”, no mês de fevereiro, em colaboração com departamentos curriculares, disciplinas e projetos, desenvolveram-se treze atividades diferentes, entre encontros com escritores, dramatizações da leitura, palestras e formação de alunos e professores.

No dia 1 de fevereiro, com a colaboração da Biblioteca Municipal de Cantanhede e o apoio da Leya, as turmas do 11.º e 12.º anos de escolaridade dos Cursos de Línguas e Humanidades e de Ciências Socioeconómicas tiveram um encontro com o escritor Moita Flores. Autor de mais de uma dezena de livros, os quais estiveram disponíveis para aquisição pelos alunos, Moita Flores, na presença de cerca de 135 alunos, conversou sobre o amor aos livros e à vida, mostrando o cruzamento entre os dois.

Nos dias 6, 15 e 22 de fevereiro, com a colaboração das professoras de Biologia e Geologia, Teresa Machado, Luísa Rosado e Ana Paula Rocha, e o apoio do Gabinete de Divulgação da FCTUC, decorreram as palestras “O nemátode da madeira do pinheiro”, “Ciência cidadã: como é que podes contribuir para a recolha de dados científicos para a conservação do ambiente?”, “As aves marinhas como sentinelas da saúde dos ecossistemas marinhos” e “Ver a floresta com os pés no rio: o verde não é todo igual”. Estiveram envolvidos 95 alunos das turmas 10CT1, CT3, LH1, LH2 e 11LH1.

No dia 6, com a companhia Etecetera, decorreram, no âmbito da Rede de Bibliotecas de Cantanhede, as atividades de dramatização da leitura “Aquilo que os olhos veem ou o Adamastor” e “Auto da barca do inferno” no Centro Paroquial S. Pedro. Estiveram presentes 150 alunos do 8.º e do 9.º anos de escolaridade, das escolas Básica Carlos de Oliveira e Secundária Lima-de-Faria.

No dia 15, com organização do Clube Ciência Viva na Escola – Ciência com arte, deu-se início ao curso de ilustração científica, dinamizado por Fernando Correia, da Universidade de Aveiro. Abrangendo as três turmas do 8.º ano da Escola Carlos de Oliveira, e o apoio de Isabel Plácido e Fernanda Maia, respetivamente professoras de Educação Visual e Ciências Naturais, do curso continuou no dia 27 de fevereiro e culminou com uma exposição, na Biblioteca Escolar, dos trabalhos realizados pelos alunos. Estes trabalhos serão posteriormente expostos no espaço Ciência Viva da ESLdF e publicados, pelo Serviço das Bibliotecas, no “Arriscas-te?!”.

No dia 20 de fevereiro decorreu uma sessão de formação com a turma 11CT3, com foco na literacia da informação e literacia digital, no âmbito da atividade FotoBio, incluída nas atividades do Clube Ciência Viva – ciência com arte. Trata-se da terceira sessão desenvolvida neste contexto no presente ano letivo. Foram analisados aspetos relativos à comunicação em ciência, nomeadamente através da imagem, e à escrita científica. Os alunos, em colaboração entre turmas, estão a desenvolver objetos no Canva, os quais serão publicados no “Arriscas-te?!”.

No dia 21 de fevereiro, em articulação com o PADDE – Plano de Ação de Desenvolvimento Digital de Escola, a BE promoveu a sessão de formação sobre Inteligência Artificial na educação, a segunda de um ciclo que está a decorrer até ao 3.º P, com a presença de todos os educadores e professores do AELdF.

No dia 29 de fevereiro, o ilustrador Fernando Correia deu também uma palestra para os 48 alunos do 12CT3 e AV sobre ilustração científica. A atividade decorreu na sala do Ciência Viva na ESLdF.

No mês de fevereiro culminou o trabalho desenvolvido pelas turmas de AV do 10.º ao 12.º anos, orientadas pelos professores Clara Clemente e Mário Almeida, em resposta ao desafio lançado pela Fundação António Quadros, a qual celebra a vida deste pensador, crítico, poeta e, entre muitas outras funções, diretor das Bibliotecas Itinerantes da Fundação Calouste Gulbenkian. Os trabalhos dos alunos, após exposição na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, serão publicados em livro digital no “Arriscas-te?!”.

Dando continuidade ao percurso iniciado em janeiro de 2024, a caixa-exposição “Uma história com A de Abril e V de Vitória”, da autoria das professoras Manuela Fonseca e Ana Costa e Silva, foi dinamizada no JI de Vilamar, com a montagem da exposição e a exploração dos recursos e atividades.

https://wakelet.com/wake/JU8oqwo1O5KS3MqKbq-1G
Partilhar em:
Visitas à página (Total): 185 - Visitas à página (Hoje): 2